FERCITEN – FEIRA REGIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NAVIRAÍ-MS

O que é a FERCITEN?

A FERCITEN é a 1ª FEIRA REGIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NAVIRAÍ (MS). Promovida pela Coordenadoria Regional de Educação de Naviraí – CRE8 (com apoio da SED/MS, através da COTED – Coordenadoria de Tecnologia Educacional), acontecerá na cidade de Naviraí, no espaço do Centro Estadual de Educação Profissional Senador Ramez Tebet, de 27 a 28 de setembro de 2018.

O objetivo principal da FERCITEN é promover espaços de exposição e apresentação de Projetos de Pesquisa, de Iniciação à Ciência e Tecnologia. Os projetos poderão ser inscritos pelos professores até o dia 25 de agosto de 2018. Os requisitos para a pré-seleção podem ser consultados no Edital da FERCITEN.   

Datas importantes

1ª FERCITEN 2018

Incentivando atividades de pesquisa e iniciação à ciência e à tecnologia.

Inscrições: de 06 a 25 de agosto

Feira: 27 a 28 de setembro

Premiação: 28 de setembro

Quem pode participar?

Podem se inscrever os estudantes matriculados na rede pública dos municípios que pertencem à jurisdição da CRE8 (Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Juti, Mundo Novo, Naviraí, Sete Quedas e Tacuru), bem como dos seus respectivos professores orientadores, nas diferentes áreas de conhecimento, dos seguintes níveis de ensino:

  • Ensino Fundamental II – do 6º ao 9º ano;
  • Ensino Médio – do 1º ao 3º anos;
  • Ensino Médio Técnico;
  • Técnico Profissional;
  • Educação de Jovens e Adultos nas modalidades de EJA e AJA.

Os projetos devem ser desenvolvidos por:

no mínimo 01 (um) orientador e 01 (um) estudante ou, no máximo, 01 (um) orientador, 01 (um) coorientador e 03 (três) estudantes.

O estudante não pode se inscrever em mais de um projeto, ainda que sejam projetos de categorias distintas, porém o número de projetos inscritos por orientador e por escola é ilimitado para a pré-seleção.

O coorientador não precisa necessariamente ser professor e os estudantes participantes do projeto podem ser de idades, anos e etapas de ensino diferentes, desde que da mesma escola e desde que o professor orientador seja o mesmo.

Consulte as normas da inscrição no Edital.

Categorias, áreas e caracterização dos projetos participantes

Os trabalhos deverão estar inseridos em uma das áreas de conhecimento listadas a seguir:   

a) Ciências da Natureza, Ciências Biológicas e suas Tecnologias;

b) Matemática e suas Tecnologias;

c) Ciências Humanas e suas Tecnologias;

d) Linguagens e suas Tecnologias;

e) Multidisciplinar (Projetos com mais de uma área de conhecimento predominante);

f) Robótica Educacional: Jogos e Objetos Educacionais em Scratch, Arduíno, Robôs, Automatizações e Desenvolvimento de Softwares com aplicação em automatizações.

Como se inscrever?

O professor orientador precisa acessar o Edital, lá estão descritos o passo-a-passo para a inscrição, os critérios de elaboração do projeto e como será a pré-seleção e as avaliações.

A inscrição é gratuita e deve ser realizada pelo orientador, exclusivamente on-line no seguinte endereço: https://goo.gl/forms/anzw7nH2S4utRKP93 a partir das 08h do dia 06 de agosto de 2018 até as 23h59 do dia 25 de agosto de 2018.

A inscrição compreende o cadastro de informações sobre o trabalho, bem como do orientador e demais autores, além da submissão do Resumo do Projeto, elaborado de acordo com o modelo disponibilizado no Edital.

Consulte as normas da inscrição no Edital.

Quais são os critérios utilizados para analisar as propostas enviadas?

Os critérios para analisar as propostas enviadas no ato da inscrição (Resumo do Projeto) são:

Critérios de Avaliação

  1. a) Criatividade e Inovação
  2. b) Conhecimento Científico do Problema Abordado
  3. c) Metodologia Científica
  4. d) Apresentação da Pesquisa/Projeto
  5. e) Coerência

A descrição desses critérios estão no Anexo IV do Edital.

Como será a exposição científica durante a feira?

Cada equipe terá um estande de aproximadamente 3mx3m, com bancada e banqueta, com ganchos para a fixação de banners e 01 ponto de energia. Os estandes serão identificados pelo nome da escola, título do trabalho e área em que foi inscrito.

Uma equipe da Comissão Organizadora da 1ª FERCITEN orientarão os expositores nos dias do evento, mas as equipes das escolas deverão trazer todos os equipamentos necessários, inclusive extensões de energia e adaptadores de tomada caso necessário, mantendo sobre eles total responsabilidade.

É permitido decorar os estandes, mas isso não será considerado na avaliação, o que vale mesmo é a desenvoltura oral do estudante na defesa do trabalho. Pode expor esquemas, equipamentos, fotos, protótipos que ilustrem e/ou estejam relacionados ao objeto da pesquisa.

A exposição dos projetos acontecerá no dia 28 de setembro de 2018, nas dependências da Coordenadoria Regional de Educação de Naviraí, que funciona junto ao CEEP Senador Ramez Tebet, Rua Hilda, 203 – Bairro Boa Vista, Naviraí (MS).

É vedada qualquer tipo de interferência do professor orientador durante a avaliação.

Cada projeto será necessariamente avaliado por 03 (três) especialistas, que estarão devidamente identificados com crachás.

A nota final, após avaliação interna, atribuída a cada projeto se dará a partir da média aritmética entre a avaliação dos especialistas.

A premiação dos projetos ocorrerá no dia 28 de setembro de 2018 em horários a serem definidos. 

O que será avaliado durante a feira?

Os elementos a serem avaliados durante a exposição dos trabalhos na 1º FERCITEN são:

1) Apresentação Oral – item obrigatório;

2) Exibição visual do pôster/Banner – item obrigatório;

3) Diário de Bordo – item obrigatório;

4) Maquete/protótipo (se estiver previsto no resumo do projeto);

5) Resumo do Projeto – item obrigatório.

Na avaliação dos elementos 1, 2,3, 4 e 5 serão utilizados os critérios gerais de Avaliação expostos a seguir:                                                                              

a) Criatividade e Inovação
b) Conhecimento Científico do Problema Abordado
c) Metodologia Científica
d) Apresentação oral da Pesquisa/Projeto
e) Referências bibliográficas.

Além desses critérios gerais, há outros específicos de cada elemento. Estes podem ser conhecidos pelo Edital.

Premiação

Todos os projetos selecionados para a 1ª FERCITEN receberão certificados de participação. Os projetos classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares, em cada área, receberão medalhas de homenagem.  

Dentre os classificados, serão selecionados dois projetos que estiverem de acordo com o tema “A Ciência para a redução das desigualdades”, e critérios da SNCT – Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, para representar a CRE8 na Feira Estadual que acontecerá na cidade de Campo Grande em outubro de 2018.

Regras de segurança

Serão proibidas as exposições dos seguintes itens:

a) organismos vivos (ex: plantas, animais, microbiota de qualquer espécie etc.);

b) espécimes (ou partes) dissecados;

c) meios de cultura in vitro de qualquer espécie, mesmo que lacrados;

d) animais vertebrados ou invertebrados preservados (inclusive embriões);

e) órgãos ou membros de animais/humanos ou seus fluidos (sangue, urina, etc.) Exceções: dentes, cabelos, unhas, ossos secos de animais, cortes histológicos dissecados e lâminas de tecido úmido quando completamente lacrado;

f) gelo seco ou outros sólidos sublimáveis;

g) comida humana ou animal;

g) produtos químicos e/ou combustíveis

i) substâncias tóxicas ou de uso controlado;

j) colocação em marcha de motores de combustão interna;

k) materiais perfuro-cortantes, ou materiais de quaisquer natureza que possam provocar ferimentos;

l) quaisquer outras formas de apresentação visual que seja ofensivo ao direito e à dignidade humana;

m) prêmios e/ou medalhas que tenham sido conquistados pela escola;

n) aparelhos de áudio que não façam parte do Projeto, ou que atrapalhem as apresentações dos expositores circunvizinhos.

Muita atenção: o descumprimento dessas regras de segurança acarretará em penalidades!

Comissão Organizadora da 1ª Feira Regional de Ciência e Tecnologia de Naviraí – FERCITEN

a) Ciências da Natureza, Ciências Biológicas e suas Tecnologias;

b) Matemática e suas Tecnologias;

c) Ciências Humanas e suas Tecnologias;

d) Linguagens e suas Tecnologias;

e) Multidisciplinar (Projetos com mais de uma área de conhecimento predominante);

f) Robótica Educacional: Jogos e Objetos Educacionais em Scratch, Arduíno, Robôs, Automatizações e Desenvolvimento de Softwares com aplicação em automatizações.

a) Gestão de Tecnologia através do NTE – Núcleo de Tecnologia Educacional 

  • Gestor(a):  Nelci Hasper
    Professores Multiplicadores:Émerson Luiz de Oliveira
    Lucimeire Antonieta Correia
    Márcio Albino
    Maria Aparecida Pereira dos Santos Ribeiro
    Maria Madalena Ribeiro Moleiro
    Michelle Milhorança Moreira

b) Gestão Pedagógica 

  • Gestor(a): Elisete Rodrigues ScudelerProfessores Formadores:Carlos Manoel Hortelan – Ciências Biológicas
    Dennis Rodrigo Damasceno Fernandes – Ciências Humanas e suas Aplicações Sociais
    Grasiela Coutinho Capilé Antoniassi – Linguagens e suas Tecnologias
    Marta Aparecida Vital – Matemática e suas TecnologiasOzeas Tavares da Silva – Educação Profissional
    Patrícia Mendonça Hernandez – Educação Física
    Rosimara Alves do Prado – Políticas Específicas

    Contatos – CRE8/ Naviraí (MS)

    Coordenadoria Regional de Educação de Naviraí
    Centro Estadual de Educação Profissional – CEEP Senador Ramez Tebet
    Rua Hilda n. 203, Bairro Boa Vista, CEP – 79950.000, Naviraí- -MS
    Atendimento: (67) 3461 9969 e 0800 647 5560
    Email: fercitencre8@gmail.com

     

    Modelo do Resumo

     

     1ª FEIRA REGIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NAVIRAÍ – FERCITEN

     MODELO DE RESUMO DE UM PROJETO CIENTÍFICO

    (Usar formatação do texto NOS MOLDES DA ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas)

    Título: A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO CIENTIFICA NO COTIDIANO ESCOLAR

    Autores

    Maria Bonitinha¹

    Serafina Sabetudo¹

    João Pesquisa²

    1 Estudantes da EE Pesquisa e Ação

    2 Professor de Filosofia da EE Pesquisa e Ação

    E-mail para contato: joao@pesquisaagmail.com

    CONTEXTUALIZAÇÃO:

    Um dos grandes problemas encontrados no sistema educacional brasileiro é a produção de conhecimento (DEMO, 1996). Apesar dos avanços, ainda observam-se muitos professores como meros transmissores e estudantes somente espectadores de conhecimentos. Compreende-se que produzir conhecimento não é necessário apenas para a base teórica, mas principalmente uma educação metodológica interdisciplinar que coloque o estudante em condições de identificar e propor soluções aos problemas de seu cotidiano (DEMO, 2009). Neste contexto, gera-se o seguinte questionamento: Como o estímulo à pesquisa na educação básica pode melhorar os indicadores escolares?

    Palavras-chave: Ensino, pesquisa e educação científica.


    OBJETIVO GERAL:

    Apresentar a experiência pedagógica na utilização da pesquisa no cotidiano escolar.

     OBJETIVO ESPECÍFICO:

    Dinamizar e (re)significar o currículo escolar; Desenvolver o protagonismo docente e discente na escola;

    Melhorar os indicadores internos e externos de aprendizagem.

     METODOLOGIA:

    Estabeleceu-se como área de estudo a EE Pesquisa e Ação. A pesquisa ocorreu com os estudantes das três turmas de 3ª ano existentes na instituição. Foram selecionados 45 participantes, 15 de cada uma das turmas, estes estudantes realizaram um curso de iniciação científica com 30 horas-aula, ministrados pelos autores do projeto e por professores de outras instituições e, posteriormente, deveriam ser multiplicadores nas células de aprendizagens em educação científica, criadas para os demais estudantes e professores. Estimulou-se a produção de projetos e artigos científicos. Estabeleceram-se encontros de discussões sobre as metodologias dos projetos, onde os integrantes e os autores podiam apresentar a metodologia e os seus resultados. Realizou-se um questionário com os todos os participantes a fim de avaliar os benefícios da ação. Também foi analisado o rendimento escolar dos estudantes envolvidos antes e depois do desenvolvimento do projeto.

    RELEVÂNCIA DA PESQUISA/PROJETO:

    O processo de educação científica possibilita a autonomia dos estudantes através da ciência, induzindo o ato reflexivo e investigativo através do uso do método científico. Novas técnicas de pesquisa e de levantamento de dados foram apreendidas pelos estudantes, os quais passaram a aproveitar mais o tempo de aula, além de interagirem com mais frequência. Todos os encontros do projeto acabavam em fervorosos debates que geravam aprendizado.

    IMPACTO DA PESQUISA/PROJETO:

    O projeto promoveu a mudança de comportamento de toda a comunidade escolar na construção e no desenvolvimento dos projetos científicos, as aulas se tornaram mais dinâmicas e os professores da unidade escolar foram convidados, pelos estudantes, para colaborarem na orientação das pesquisas e projetos criados. Houve a redução na infrequência, aumentando em 30% o rendimento escolar nas avaliações internas e houve a importante marca de 95% de inscrição no ENEM. Também podemos relatar como impacto positivo a realização diversos projetos apresentados nos moldes do rigor científico que exigidos na Feira Regional de Ciência e Tecnologia – FRCT da CRE8 (Naviraí/MS).

    CONSIDERAÇÕES FINAIS:

    O incentivo à educação científica proporcionou aos jovens participantes da ação diversas oportunidades, entre elas a formação de ser pensante e gerador de conhecimento. Os projetos produzidos foram apresentados em eventos científicos. Na avaliação realizada, todos os integrantes confirmaram sua melhoria nas disciplinas da grade curricular e a escola melhorou os seus indicadores de aprendizagem e de permanência. Percebe-se a mudança significativa dos estudantes, que agora conseguem ter autonomia na busca de conhecimento e criarem suas oportunidades no mundo do trabalho. O trabalho continua e novos avanços devem ser alcançados.

    REFERÊNCIAS

    CARVALHO, A.M.P (org.). Ensino de CIÊNCIA: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

    DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 1996.

    MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa. Brasília: Universidade de Brasília, 1999.

    Termo de Responsabilidade

     

  • Como elaborar o Banner(Usar formatação do texto NOS MOLDES DA ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas)
    Acesse o Edital e confira.

 1ª FEIRA REGIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NAVIRAÍ – FERCITEN

ORIENTAÇÕES DE COMO FAZER UM BANNER/PROJETO CIENTÍFICO

  1. Função do Banner

Sintetizar informações e dados relevantes da pesquisa. É a primeira impressão que o visitante/avaliador terá da sua pesquisa/projeto. Neste sentido, deve ser atraente, mas não poluído, deve conter informações que levem o leitor a saber do que se trata, mas não deve esgotar o assunto, pois deve deixar um desejo de querer saber mais, o que a apresentação oral suprirá.

  1. Formato Gráfico

2.1. Tamanho do banner: 0,90m de largura por 1,20m de altura (0,90m x 1,20m).

2.2. Tamanho da fonte e espaçamento entre linhas: (legível a uma distância de pelo menos 1m – dependerá da quantidade de informação contida; no banner).

Tamanho recomendado de fonte para título: 40.

Tamanho recomendado de fonte para texto: 26.

Tamanho recomendado de fonte para gráficos, tabelas, fotos, figuras etc: 14 a 16.

Tamanho recomendado de fonte para contato: 14 a 16.

2.3. Cor da fonte (Que se destaque da cor definida no plano de fundo do banner).

2.4. Alinhamentos: justificado.

2.5. Margens: (esquerda 3,0 cm / direita, superior e inferior 2,5 cm.).

  1. Estrutura do Banner e/ou do Resumo da Pesquisa/Projeto

3.1. Título Deve ser sintético e refletir a essência do trabalho, ou seja, o objeto de pesquisa.

Deve ser centralizado.

3.2. Autores e Orientador(a)

Citados por extenso e centralizado.

3.3. Contextualização

A formulação do contexto/problema é a delimitação da pesquisa. Neste item indica-se qual a dificuldade (problema) que se pretende resolver ou responder. É a apresentação da ideia central do trabalho, o desenvolvimento da definição clara e exata do assunto (problema) a ser desenvolvido (resolvido). É onde o autor deve contextualizar, de forma sucinta, o tema de sua pesquisa. Contextualizar significa abordar o tema de forma a identificar a situação ou o contexto no qual o problema a seguir será inserido. Essa é uma forma de introduzir o leitor no tema em que se encontra o problema, permitindo uma visualização situacional da questão (OLIVEIRA, 2002, p. 169).

3.4. Objetivo Geral

É o sentido mais amplo que constitui a ação que conduzirá ao tratamento da questão abordada no problema da pesquisa/projeto.

3.5. Objetivo Específico

Detalha as ações que se pretende alcançar e estabelecer estreita relação com as particularidades relativas à temática trabalhada.

3.6. Metodologia

Apresenta os procedimentos de coletas e análise dos dados. Síntese da metodologia (análise do discurso, análise de conteúdo etc.) e dos procedimentos metodológicos (pesquisa em periódicos, observação, entrevista, etc.) adotados pelo pesquisador.

3.7. Relevância da Pesquisa/Projeto

Revela a importância do problema ou tema estudado especificando a sua principal relevância social e/ou acadêmica.

3.8. Impacto da Pesquisa/Projeto

Explicita o impacto da pesquisa/projeto para o ensino e para o aprendizado ou para a comunidade/sociedade. Também pode ser considerado impacto a mudança de concepção e de postura.

3.9. Considerações Finais

Breve resgate das hipóteses/objetivos, relacionando-os aos resultados de maior destaque, e indicação de perspectivas para abordagem do tema. Confirma ou refuta as(os) hipóteses/objetivos do trabalho. Deverá apresentar deduções lógicas e correspondentes aos(às) objetivos/hipóteses propostos, ressaltando o alcance e as consequências de suas contribuições, bem como seu possível mérito. Resumidamente, trata-se da indicação dos resultados alcançados, com breve análise de como eles foram obtidos e quais as suas implicações.

3.10. Referências

Indicação da bibliografia, dos periódicos e de demais fontes efetivamente utilizadas pelo autor conforme normas da ABNT. Citar as três fontes mais importantes.

3.11. Contatos dos participantes do projeto.

 E-mail para contatos posteriores.

ATENÇÃO! Sobre a colocação de Gráficos, Tabelas, Fotos e Figuras: Quando houver fotos, essas devem ser ampliadas, preferencialmente em cores, com boa resolução, contendo legenda e fonte abaixo das mesmas. Tabelas e Figuras, também devem ser ampliadas, com boa qualidade de impressão, contendo fonte e legenda explicativas. Recomenda-se mesclar texto, gráficos e figuras. Não esqueçam! 65% do Banner deve ser composto por Gráficos, Tabelas, Fotos, Figuras etc.

Finalistas da 1ª FERCITEN

Edital 001/ 2018 1ª FERCITEN

Esta publicação está de acordo com o Art. 22, Inc. I e PU da Instrução Normativa Nº1, de 11 de Abril de 2018.